ELIAS RICARDO SANDE

ELIAS RICARDO SANDE
PSICOLOGO SOCIAL E DAS ORGANIZACOES

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Teorias Observacionais: Tipos de observacao

O presente trabalho inserido na disciplina de Técnicas de Observação da Criança visa trazer de forma sistematizada e breve pontos fulcrais a observação, suas respectivas teorias conceituais e contribuições relevantes para o campo observacional.
É importante antes de mais delongas trazer a este momento conceitos pertinentes e considerados uma mais-valia para o campo observacional. Hora vejamos, o que seria do campo observacional sem as diversaspesquisas feitas em diversas áreas do saber? Como seria aplicar a observação sem ter conhecimentos gerais sobre os seus tipos? Feitas estas questões já se pode adiantar qualquer assunto relativo a observação.

 Por motivos de lógica é necessário conceituar a própria observação. 
 O que é observação?

Esta questão foi respondida de diferentes maneiras, por diversos autores e escritores de diferentes literaturas, mas por questões de síntese trarei Observação na perspectiva de Danna e Matos (1989) que entende-a como um instrumento de colecta de dados que permite a socialização e consequentemente a avaliação do trabalho do cientista, isto é, no processo da observação o cientista estará em conctato directo com o meio social e poderáatravés dos dados obtidos fazer um jogo correlacional caso já se tenha feito uma investigaçãoidêntica ou mesmo se for o caso de se refazer a mesma observação e obter-se resultados semelhantes. Pode-se dizer ainda na perspectiva dos autores supra citados que a observação pode ser utilizada para colectar dados acerca do comportamento e da situação ambiental.

As abordagens teóricas acerca da observação são auto descritivas, na medida em que, através por exemplo da sua definiçãoencontrarem pontos relevantes acerca das suas contribuições para este campo precioso do saber científico. A título de exemplo podemos trazer em evidência a Teoria etológica da observação emque segundo Bowlly (1982) a Etologia é o ramo das ciênciasbiológicas que se preocupa em fornecer o repertório de conceitos dados necessários para explorar e integrar dados e insigth, proporcionados por outras abordagens como a psicanálise, teorias de aprendizagem de piaget o que vem sendo denominado Neuroetologia no estudo comparativo e correlacional entre as distintas formas do Sistema Nervoso e suas funções e comportamentos.

Breve conceitualização

Observação é um método de colecta de dados muito usados pelos psicólogos experimentais e outros cientistas afectos em diversas ares com o principal objectivo de trazer de uma forma sistemática e objectiva dados colhidos de forma científica (adptado)
Tipo de observação refere-se as diferentes abordagens de utilização da observação.
Teoria é conjunto de conhecimentos não ígneos que apresentam graus diversos de sistematização e credibilidade, e que se dispõem explicar, elucidar, interpretar ou unificar um dado domínio de fenómenos ou conhecimentos que se oferecem á actividade prática. Extraído (dicionário de língua portuguesa).
Ecologia ramo das ciências humanas que estuda a estrutura e o desenvolvimento das comunidades humanas em suas relações com o meio ambiente e sua consequente adaptação a ele, assim como novos aspectos que os processos tecnológicos ou os sistemas de organização social possam acarretar para condições de vida do homem. Extraído (dicionário de língua portuguesa).
Etologia estudo dos hábitos anima e da sua acomodação as condições do ambiente

Teoria ecológica e Teoria etológica

Teoria ecológica

Ecologia é ciência que estuda as interacções entre o organismo e seu meio envolvente.
Falar de observação em teoria ecológica mesmo que referir que esta teoria valoriza as pesquisas realizadas em ambientes naturais, a identificação de aspectos evolutivos saudáveis actuantes em premissas do desenvolvimento através da interacção de variáveis e o uso de diferentes instrumentos, viabilizando a integração de um mesmo fenómeno, isto é, a teoriaecológicaenfatiza a importância da realização da pesquisa observacional num ambiente natural, onde não ajam aspectos secundários a interferir nos resultados a reportar. (Alves, Tudge, Shanahan e Valrer, 1997/1998).
Nesta perspectiva é importante citar nomes como Bronfembrenner (1979/1996) que propõe a explicação e intervenção no desenvolvimento humano através da análise de quatro grandes dimensões conceituais, presentes e actuantes de forma dinâmica na vida quotidiana de cada indivíduo. Essas dimensões podem ser:
  OTempoidentifica em estudos ecológicos a estabilidade ou a instabilidade nos ambientes, reflectindo directamente em questões inerentes ao desenvolvimento em si.
 A Pessoa, é um conceito que organiza e enquadra as características biopsicologicamente construídas na interacção de cada ser humano com o ambiente físico e socio-emocional que frequenta.
  O Processo é a sequência de estados que se transforma.
  Contexto. Essasdimensõessãopeculiares no desenvolvimento sadio e coordenado das estruturas cognitivas e sociais de um individuo, pois contribuem de forma unânime neste processo.

Contribuição da ecologia para a observação

Através da teoria ecológica e dos seus escritos o observador poderá desenvolver trabalhos científicos, observando de forma natural sem nenhuma interferência de factores secundários.
Esta teoria permite ao observador observar o indivíduo em diferentes circunstâncias e obter dados concisos através de uma observação directa e naturalística. Pode-se observar as diferentes variantes do comportamento em relação ao seu meio social epoderão comparar os resultados com outras observações similares.

Teoria etológica da observação

Etologia provem do grego ethos "ser", ou personalidade e logia "estudo". Este ramo do saber estuda o comportamento animal, e tem como fundamento teórico a evolução do comportamento através do processo de selecção natural.
Os etólogos estudam os padrões do comportamento específicos das espécies, e o fazem num ambiente natural, uma vez que acreditam que detalhes importantes do comportamento só podem ser observados durante o contacto estreito e continuo com as espécies particulares que se encontram livres no seu ambiente.
Segundo Darwin e Bowldy (1850, 1982), cada espécie é dotada de suas próprias peculiaridades anatómicas.

Contribuições da teoria etológica para a observação

Por ter como preceito metodológico a utilização de resultados obtidos em estudos de comportamento animal para a complementação, confirmação ou aprofundamento do conhecimento sobre o homem esta abordagem traz uma nova visão para o campo observacional, pois a partir dela poderemos observar animais e fazer a sua respectiva experimentação sem por em causa a vida ou dignidade do Homem.
A teoria etológicatambém traz uma nova visão para o campo infantil pois através da utilização de modelos e conceitos teóricos para a interpretação dos seus fenómenos, esta usa conceitos como: estimulosinal, estímulo supra-normal, estampagem e períodosensívelpossibilitando assim o estudo das etapas ou fazes de desenvolvimento que distinguem a infância.
Segundo Bowlly (1982), a abordagem etológica pode fornecer o repertório de conceitos e dados necessários para explorar e integrar dados de insigth proporcionados por outras abordagens como a psicanálise, teorias de aprendizagem de Piaget e o que vem sendo denominado Neuroetologia no estudo do Sistema Nervoso e suas funções ou comportamentos.
Esta teoria também oferece uma grande contribuição para o campo agrícola, porque sendo esta uma observação naturalista os agricultores podem usa-la para observar o crescimento e o comportamento das suas culturas.


 Tipos de observação
Falar de tipos de observação é referir das diversas formas de aplicação da observação e as diversas situações em que podemos a encontrar.
Para dar ênfase aos tipos de observação sem deturpar qualquer informação que seja relevante é necessário que se sigam alguns parâmetros, tais como: a sua descrição sistematizada e objectiva, descrever o todo antes das partes para deixar os termos bem claros.
Segundo as pesquisas feitas foi possível constatar que em tipos de observação existem dois métodos a saber:

Método Naturalista e o Método Experimental

Método Naturalista

Segundo LANDSHEERE (1979), citado por Fraisse e Estrela, ObservaçãoNaturalista é uma observação do comportamento dos indivíduos nas circunstâncias da sua vida quotidiana, onde o comportamento nãoconstitui objecto de controlo onde se enfatiza a observaçãoetológica como exemplo.
Segundo Estrela (1994) MétodoNaturalista é uma forma de observação sistematizada, realizada em meio natural e utilizada desde o século XIX na descrição de comportamentos do homem e dos outros animais.
Observação Naturalista é um método descritivo que examina, detalha cuidadosamente o comportamento dos indivíduos em contexto ecológico, isto é, no seu ambiente.
Este métodoobservacional tem por objectivo estabelecimento de descrição, contraídas a partir do que o observador vê. A técnica, em si, poderá definir-se segundo quatro grandes linhas:
ü  Nãohá selectividade no processo de observação, mas sim uma acumulação de dados, pouco selectiva, mas passível de uma análise rigorosa.
ü  A situação deve ser descrita com precisão, isto é, com a apreensão de um comportamento ou de uma atitude inseridos na situação em que se produziram, a fim de se reduzirem ao mínimo as dúvidas referentes à sua interpretação.
ü  Pretende estabelecer biografias compostas de um grande número de unidades de comportamentos, que se fundem umas nas outras.
ü  A continuidade que constitui um dos aspectos de base que possibilita uma observação correcta.
É importante referir que a observação Naturalista pode ser:

Indirecta, quando o observador colhe dados de forma não presencial ou por via de vídeos, televisão entre outros.
Directa quando o pesquisador entra em contacto directo com o meio observado. Esta modalidade por sua vez pode ser dividida em participante e não participante.

Observaçãonão participante, o observador observa a sua população de forma indirecta, isto é, a observação é feita no local onde se encontram os indivíduos da observação mas o observador não se insere no meio dos indivíduos observados e não participa em nenhuma das suas actividades.

Observação directa participante, é uma técnica de recolha de dados e de intervenção social, que consiste na inserção do pesquisador no interior do grupo observado, tornam-se parte dele, interagindo por longos períodos com os sujeitos observados e colhendo sentimentos de qual significado tem estar naquela situação. Queiroz, Vall J. Sousa AMA (2007).
 A observação participante pode ser:

Formal e Informal

Observação informal, esta perspectiva designa a colecta de dados que é feita sem nenhum aviso por parte do observador.
Observação Formal, o observador emite um aviso prévio antes do momento ou data da observação pondo apar da situação os indivíduos a serem observados.
ObservaçãoSistemática é um método observacional usado para compreender como funciona uma determinada actividade ou tarefa, o observador observa as etapas de um processo, as ferramentas usadas e os resultados do trabalho. (Paquay), citado por Estrela considera que o observador deve dispor de um método de anotação de observação, orientado para a recolha de dados susceptíveis de tratamento quantitativo. A notação, segundo Madley e Mitzel, faz-se, fundamentalmente, através de duas formas: sistemas de sinais e sistemas de categorias, onde oobservador regista os comportamentos depois da sua ocorrência, e em outros momentos se tratando do sistema se sinais o observador faz um único registo dos dados por mais que se repitam.

Observaçãoassistemáticaé caracterizada pelo fato de o conhecimento ser obtido através de uma experiencia causal, sem que se tenha determinado de antemão quais os aspectos relevantes a serem observados e os que menos utilizar para observa-los.Nesta etapa de observaçãohá duas situaçõespossíveis: o observador é participante e não participante.

Método experimental

Método experimental é um método de recolha de dados com base em instrumentos auxiliares para a concretização da observação. Nesta observação o observador recorrerá a certos artifíciossecundários para organizar o espaço que decorrerá a observação. Esta observaçãonão se adequa a teoria etológica porque não é natural e através dos seus métodos pode alterar o comportamento dos observados e assim influenciar nos resultados da observação.

Observação Laboratorial é usada para controlarcaracteres cujainterferência nos resultados é indesejada, o investigador observa o comportamento em ambiente por ele mesmo definido. Segundo Stanleyaobservação laboratorial pode ser usada para saber qual é o grau de observância de um dado comportamento em relação a autoridade.

Vantagens e desvantagens das observações supra citadas


Designação/observação
Desvantagem
Vantagem



Naturalista
-Os dados são de difícilreflexão,
-O controle sobre as circunstancias estranhas é reduzido, nãohá relação de causa e efeito,
-As conclusõessãosuposições.
-Os comportamentos são observados em contexto ecológico no seu meio habitual de ocorrência.
-É de grande utilidade no estudo de espécies que não se adaptamas condições laboratoriais.
Directa
-Interferência no comportamento.
-Dificuldades no registo de dados
-contacto directo com a realidade observada.
-Registo dos comportamentos no momento da sua ocorrência.
-Reduz a subjectividade
Indirecta
-Nãohá contacto directo com a população observada.
-Subjectividade quanto aos dados fornecidos.
-Registo a posterior do comportamento

-Facilita o registo de dados, pois o observador poderá ter acesso aos dados todas as vezes que achar conveniente.
-Não interfere na espontaneidade do comportamento dos observados.


Participante


-Pela participação do observador nas actividades dos observados este facto poderá influenciar nos resultados a serem obtidos.
-esta observação tem um enfoque mais avaliativo do que investigativo.
-Facilita a recolha de dados, pois o observador estará participando nas actividades dos indivíduos da observação.
-Possibilita o acesso à dados que a comunidade ou grupo considere de domínio privado.

Nao participante
-o observador nãoterá acesso directo à cultura e dependera muito mais da boa vontade dos participantes para obter dados concisos.
- Permite o observador obter dados concretos, porque ele ira observar a população sem nenhuma interferência.
Formal
Pode alterar o comportamento dos indivíduos observados, pois eles terão conhecimento da presença do observador.
˗Pode levar tempo, pois o pedido de permissão pode tardar a sua aceitação.











Observação

Presença do pesquisador pode provocar alterações no comportamento dos observados, destruindo a espontaneidade dos mesmos e produzindo resultados pouco confiáveis, por poder provocar alterações no comportamento do grupo observado.

˗Possibilita elementos para delimitação de problemas;
˗Favorece a construção de hipóteses;
˗Útil para descobrir aspectos novos de um problema;
˗Obtenção de dados sem interferir no grupo estudado.
˗Permite a colecta de dados em situações de comunicação impossíveis;
˗Apresenta meio directo e satisfatório para estudar uma ampla variedade de fenómenos;
˗Exige menos do observador do que outras técnicas;
˗Depende menos da introspecção ou da reflexão;
˗Permite a evidência de dados que o pesquisadornão tenha planeado.

Laboratorial
˗É artificial.
˗Pode condicionar o comportamento da população observada.
˗Pode ser dispendiosa, porque o observador devera recorrer á diversosartifícios para concretizar a sua observação
Hádefinição do que pretende se observar.
˗Há construção de grelha de registo que poderá auxiliar o pesquisador na tomada de notas.
̵̵̵̵ Permite a utilização de outros instrumentos de pesquisacomo: entrevista e questionários.
Sistemática
˗No processo de observação o observador devera seleccionar apenas os factos importantes, facto este que poderá influenciar nos resultados da observação.

-Este método é flexível e pode ser usada nos dois campos da observação.
-Os seus objectivos são descritos com clareza.
˗Permite a descriçãominuciosa do comportamento
˗Permite obter dados que possam fornecer subsídios para diagnosticar uma situação ou problema
Assistemática
˗ O observador deve ser dotado de boa memória pois não usa neste método nenhuma ficha de registo.
˗O observador baseia-se em suposições.
˗Permite ao observador escolher a forma de observação que lhe convém (participante ou não participante).

Conclusão

Conclui-se que o campo observacional foi muito estudado por pesquisadores de diferentes áreas do saber e estes usaram da observação para constituir algumas das suas teorias.
A observação constitui um elemento fundamental na obtenção de dados precisos, sistemáticos objectivos pois esta pode ser usada de forma científica.
Foi possível constatar que a teoria Etológica não é uma teoria, mas sim uma abordagem ao estudo do comportamento que se caracteriza por um determinado enfoque ou perspectiva. Para que aja uma observação o observador deve participar como um instrumento para colecta de dados porque ele não pode dar opiniões, emitir juízos sem descrever o que esta sendo visto.














 

3 comentários:

Anônimo disse...

fish Elias..........
conseguiste tirar minhas duvidas a cerca de observacao

juliao isidro disse...

Muito obrigado Ilustre pelo material! Gostei de ler e apreciar

Unknown disse...

Gosto de ler os seus artigos me ajudammuito nos W da facul...

Postar um comentário